Transporte

Aeroporto Marechal Rondon tem maior evolução do país, segundo passageiros

Fonte: Da Redação
0
Views:
16

O Aeroporto Internacional Marechal Rondon, em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá, foi o terminal com maior evolução no índice de satisfação dos passageiros entre os principais aeroportos do país. O crescimento registrado no primeiro semestre de 2017 foi de 23% se comparado ao mesmo período do ano passado. A informação consta na Pesquisa Permanente de Satisfação dos Passageiros, do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil (MT), divulgada nesta quinta-feira (11.05), pelo Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil.

A ascensão ocorreu em menos de quatro meses, e foi sentida após a retomada das obras de reforma do aeroporto, ocorrida em novembro do ano passado.n De acordo com o levantamento, pela primeira vez, o Marechal Rondon apresentou nota acima de 4, passando de 3,83 para 4,04 nos três primeiros meses do ano. É o melhor desempenho da série histórica, medida desde 2013. Com isso, se aproximou de grandes aeroportos nacionais como o Congonha (4,11), em São Paulo (SP), e se distanciou de Salvador (3,83), na Bahia, que obtém o pior no ranking nacional.

Ainda segundo a pesquisa, dos 15 terminais avaliados, 14 tiveram nota acima de 4, a média estipulada pela Comissão Nacional de Autoridades Aeroportuárias (Conaero), numa escala que vai de um a cinco. Mato Grosso está entre eles. Com a nota, o aeroporto mato-grossense se mantém em 14º lugar entre os 15 pesquisados pelo Ministério, porém com o maior avanço das melhorias na percepção de quem utiliza o serviço aéreo no país.

Para o ministro Maurício Quintella, os números gerais do levantamento representam uma grande vitória para a aviação nacional. “Pela primeira vez na história da pesquisa, 14 dos 15 aeroportos avaliados tiveram nota acima de 4, a média estipulada pelo Governo. Isso mostra claramente que estamos no caminho certo para melhorar a qualidade dos serviços prestados à população”, afirma.

O avanço percebido pelos passageiros que circulam no Aeroporto Internacional Marechal Rondon e quantificado no levantamento nacional havia sido antecipado pelo governador do Estado, Pedro Taques, durante visita ao terminal na terça-feira (09.05). Segundo ele, o aeroporto de Mato Grosso vai figurar entre os melhores do país depois da conclusão da reforma e ampliação, prevista para agosto deste ano.

A obra agora já atinge o estágio de 80% do projeto finalizado.  “A nossa meta é superar a nota 4. Se for avaliado o gráfico desde o início da nossa administração, o aeroporto está numa média crescente. No levantamento anterior, estava com 3,83 e agora tenho certeza que já passaremos de 4”, disse o governador na ocasião, acrescentando que dessa forma o Marechal Rondon não envergonharia mais o Estado por estar entre os piores do país.

O titular da Secretaria de Estado das Cidades (Secid-MT), que fiscaliza as obras no aeroporto, Wilson Santos, acrescentou que essa evolução na pesquisa do Ministério dos Transporte e Aviação Civil deve-se ao respeito e à responsabilidade com que a gestão Pedro Taques trata as obras que ficaram no escopo da Copa do Mundo.  “Nós vamos concluir nossa missão de entregar esse aeroporto como um dos 10 melhores aeroportos do Brasil. Essa é uma meta que nós estabelecemos e que perseguimos diuturnamente”, afirmou.

A pesquisa

O levantamento Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil (MT) refere-se ao primeiro trimestre deste ano. Nele, foram ouvidos 13,8 mil passageiros nos 15 aeroportos que movimentam 80% das pessoas que viajam de avião no país.

De acordo com os índices descritos na pesquisa do Ministério da Viação Civil, na média por agrupamento de indicadores, o item infraestrutura aeroportuária do aeroporto Marechal Rondon aparece com nota 4,02, a maior entre os pontos medidos. Outra questão bem avaliada é o atendimento pelas companhias aéreas dentro do aeroporto, 4,15, tendo a cordialidade dos atendentes como destaque.

Ainda conforme os dados, o tempo de espera na fila de inspeção de segurança foi avaliado como satisfatório pelos passageiros que utilizaram o aeroporto mato-grossense, com nota geral 4,53. A qualidade da informação nos painéis das esteiras de restituição de bagagem também recebeu nota acima de 4, ficando em 4,32. O embarque e desembarque no meio-fio vêm logo em seguida com 4,20.

A limpeza geral do aeroporto aparece como outro ponto positivo, apresentando 4,18.

As pessoas também se sentem mais seguras ao circular pelo terminal, a nota final é de 4,13. O ar-condicionado, um dos principais problemas por mais de dois anos, também registrou média de nota acima do patamar 4, ficando em 4,06, superior à média geral do terminal.  Também foram bem classificados os itens: tempo de espera na fila do check-in (guichê), 4,42; velocidade de restituição de bagagem, 4,12; integridade da bagagem, 4,03.

No entanto, o que ainda precisa melhorar na opinião do passageiro não está ligado à estrutura física. Entre os itens, estão: disponibilidade e localização de bancos e caixas eletrônicos (3,58), quantidade de lanchonetes (3,47) e estabelecimentos comerciais (3,46), bem como custo benefício no estacionamento (2,90). De modo geral, os passageiros estão satisfeitos com os serviços oferecidos, segundo o levantamento.

No país, 76% dos 38 itens avaliados ficaram acima da média. Destacam-se o tempo de fila no raio-X (4,5), a cordialidade dos funcionários da inspeção (4,48) e a disponibilidade de assentos na sala de embarque (4,46). Os órgãos públicos e as companhias aéreas também agradam. Nota 4,61 para o tempo de fila da aduana, 4,26 para a integridade da bagagem e 4,16 para a velocidade da restituição de bagagem (4,16).

Obra

A obra completa do aeroporto Marechal Rondon está orçada em R$ 84,63 milhões e até o momento já foram executados 80% dos serviços. A previsão é de entrega final no mês de agosto de 2017.

O Marechal Rondon é hoje uma das principais portas de entrada de Mato Grosso e as obras de reforma do terminal garantirão, além de mais conforto aos usuários, a ampliação da capacidade de fluxo de passageiros para até cinco milhões de pessoas por ano. Em 2016, a movimentação de pessoas no complexo chegou a 2,8 milhões, segundo dados da Infraero. A projeção para 2017 é que a base cresça para até 3,2 milhões de passageiros no ano.

Transporte