Transporte

Carro blindado da PJC vai atuar em ações de conflito e alta periculosidade

Fonte: Da Redação
0
Views:
0

As unidades especializadas da Polícia Judiciária Civil agora têm um carro blindado para ações de alta complexidade, como casos de assalto a banco, rebeliões em presídios, diligências em áreas perigosas e operações no interior do Estado.

O veículo, avaliado em cerca de R$ 500 mil, tem blindagem nível 5, suportando armamentos de grosso calibre. Foi doado pela empresa Brinks. Cerca de R$ 50 mil foram investidos na adaptação do veículo para a atividade policial e pagos pelo Sicredi, Aprosoja, Banco do Brasil, Sicoob, Grupo Bom Futuro e as empresas Tag Carretas e Chapecoense.

O governador Pedro Taques esteve na manhã desta quinta-feira (06.04) na Secretaria de Estado de Segurança Pública quando o veículo foi entregue. Ele também conversou com os alunos do 3º Curso Superior de Polícia.

“O blindado é uma contribuição de vários setores da sociedade civil e empresas que estão ajudando o Estado. Parabéns ao secretário Rogers e toda a sua equipe”, disse Taques.

O diretor de Execução Estratégica da PJC, delegado Mário Dermeval Aravechia Resende, foi o idealizador do projeto junto com outros policiais, que ajudaram nos trâmites da doação e na transformação do carro-forte em um veículo policial.

“Solicitamos o veículo para a Brinks que nos doou devido ao trabalho da Polícia Civil nas ações contra roubo a bancos. Tivemos contato com os bancos e cooperativas e as empresas que também patrocinaram a reforma e adequações do veículo”, destacou.

O blindado ficará sob responsabilidade da Gerência de Operações Especiais (GOE), unidade vinculada a Diretoria de Atividades Especiais, que tem treinamento para operar esse tipo de veículo.

O blindado mede 2,60m de altura por 2,30m de largura e tem 6,50m de comprimento. Possui  chassi 709, motor Mercedes Benz, e é movido a Diesel.

Para chegar ao estado final recebeu novo volante, rodas, interclimas, dois aparelhos de ar condicionados, inserção de plataformas metálicas, faróis, pára-choque, iluminação de led moderna e pintura de alto nível com adesivagem dentro da padronização visual da Polícia Judiciária Civil.

“Temos convicção de que a Polícia Civil e sociedade ganham com essa doação. A PJC terá capacidade maior de enfrentamento a grupos criminosos que utilizam armamentos pesados contra o Estado e a sociedade. Nossos profissionais foram capacitados para operar esse veículo e o armamento utilizado em eventual enfrentamento”, destacou o secretário de Estado de Segurança Pública, Rogers Jarbas.

Curso Superior de Polícia

Em conversa com os 58 alunos do 3º Curso Superior de Polícia (CSP), cuja turma é composta por delegados da PJC, oficiais da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros, peritos e membros da Polícia Rodoviária Federal, o governador Pedro Taques disse que a capacitação é necessária para a formação dos novos gestores e a ideia é fortalecer a Escola de Governo para que outras especializações como essa em parceria com a Academia de Polícia Civil (Acadepol) sejam realizadas em outras pastas, cada um em sua área de abrangência. Esta é a primeira vez que o CSP é realizado em parceria com a Escola de Governo.

Taques ainda fez a dinâmica para que dois delegados de Polícia Civil se colocassem no papel de governador por alguns minutos e apresentassem suas propostas de trabalho. Após a brincadeira ele disse que com orçamento de quase R$ 19 bilhões, os investimentos em compra de armas, reformas em delegacias e hospitais estão em quinto lugar na lista de prioridade.

“O primeiro é o repasse para os poderes, segundo o pagamento das dívidas com a União que ano passado foram pagos R$ 1,1 bilhão. Depois o pagamento do salário dos servidores, em seguida o pagamento das despesas e por último os investimentos”.

O governador lembrou também que em 800 dias foram economizados R$ 800 milhões para que sobre mais recursos para investimentos. “Desde que assumimos chamamos 3.663 novos profissionais nas forças de segurança, foi um incremento de R$ 990 milhões na folha de pagamento ao ano”.  

Para o diretor da Acadepol e coordenador do 3º Curso Superior de Polícia, delegado Carlos Fernando da Cunha Costa a visita do governador estreita as relações com os futuros gestores da segurança pública. “São oficiais e delegados que estão ascendendo para o último grau da carreira e que estarão exercendo o comando da segurança. Esse curso oferece os fundamentos e conhecimentos técnicos para incrementar e otimizar a gestão do estado e da segurança pública. Acreditamos que essa qualificação vai gerar uma polícia mais eficiente e qualificada”.

Transporte