[pro_ad_display_adzone id="9377"]

Comissão faz análise antes de retomar obra da Copa

Fonte:
0

A Secretaria de Estado das Cidades (Secid) criou uma comissão para realizar levantamento técnico completo da obra do Centro Oficial de Treinamento Rubens dos Santos, mais conhecido como COT do Pari, localizado na região do Chapéu do Sol, em Várzea Grande. A intenção do órgão estadual é retomar a obra nos primeiros meses de 2018.

Conforme portaria (409/2017) assinada pelo secretário de Cidades, Wilson Santos, caberá aos membros da comissão técnica fazer vistorias in loco e elaborar relatório técnico e planilhas com atualização de todas as informações relativas aos serviços executados e a executar, inclusive, das inconformidades e patologias.

Após, a equipe, formada por profissionais nas áreas de engenharia civil e eletricista, analista ambiental e arquitetura, deverá elaborar parecer técnico consolidado sobre o levantamento realizado. O prazo para conclusão dos trabalhos é de até 60 dias. O local foi concebido para ter sido utilizado ainda na Copa do Mundo de 2014, o que não aconteceu. A obra inacabada e abandonada vinha sendo tocada pelo Consórcio Barra do Pari, liderado pela empresa Engeglobal.

Em maio deste ano, a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) chegou a anunciar que o espaço, sendo concluído, deverá abrigar a Escola de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (Esfap) da Polícia Militar (PM-MT).

A proposta surgiu devido ao fato do local contar com campo de futebol, área de atletismo, e até mesmo as salas de aula que podem ser emprestadas para a formação das outras unidades vinculadas à Sesp, como o Corpo de Bombeiros, Polícia Judiciária Civil (PJC-MT), Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) e Departamento Estadual de Trânsito (Detran), por meio de cessão pela PM.

O COT do Pari teve 70% da obra concluída. O investimento inicial previsto era da ordem de R$ 31,7 milhões, sendo que mais de R$ 21 milhões foram repassados ao consórcio. Abandonada, grande parte do que já foi feito foi depredado e terá que ser refeito. Vale lembrar que o valor da obra não inclui o projeto da Esfap.

Fonte: Folhamax

[pro_ad_display_adzone id="9377"]