[pro_ad_display_adzone id="9377"]

Corrida à Prefeitura vai colocar em debate saúde, transporte e saneamento

Fonte: Olhar Direto
0

Dentro de poucos dias, quando os partidos políticos iniciarem a realização das convenções para a definição dos candidatos à Prefeitura de Cuiabá, espera-se que haja prioridade ao debate de soluções para os diversos problemas e não apenas troca de farpas e ataques pessoais. A reportagem do Olhar Direto apurou que a Capital de Mato Grosso tem quatro áreas que devem monopolizar as atenções do futuro prefeito: saúde, transporte público, educação e moradia.

Embora o prefeito Mauro Mendes (PSB) alardeie uma suposta revolução em andamento, na área da saúde, com o Hospital São Benedito e as obras do novo Hospital e Pronto Socorro Municipal, existem outros desafios. Por exemplo, o  processo de envelhecimento da população traz desafios com a alteração dos tipos de doenças mais frequentes, o chamado perfil epidemiológico.

Existe um consenso de que Cuiabá está transitando de um perfil de doenças agudas para um perfil de doenças crônicas. A doença aguda é passível de se curar. É como a pneumonia, em que você trata com antibiótico e ela cessa. A doença crônica, mais comum na velhice, não tem cura e o paciente precisa de uma estrutura de atendimento contínuo e articulado.

O Departamento de Medicina da Universidade Federal de Mato Grosso constatou que Cuiabá já conta com um razoável atendimento primário. O desafio é conseguir dar conta dos próximos passos, com exames e consultas especializadas que tendem a se tornarem mais necessários com as doenças crônicas.

Para um outro problema de saúde coletiva permanente do município, a dengue, a sugestão é de que prefeitura intensifique o combate às larvas do mosquito Aedes aegypti durante o inverno. É possível combater o mosquito na época seca e se consegue controlar a doença.

Nosso transporte

Outro setor com impacto direto na qualidade de vida da população é o de transporte terá de ser exaustivamente debatido pelos candidatos a prefeito da Capital. Como Cuiabá é uma das capitais com maior número de carros e motos per capita, no Brasil, existe uma fuga de usuários do sistema de transporte público. E o maior desafio é trazer de volta parte dos usuários: o que deve ser motivo de discussão entre os candidatos.

Isso porque especialistas projetam que a fuga pode levar ao colapso do sistema, forçando a elevação da tarifa ou a necessidade de o poder público subsidiar a passagem – como já acontece com o passe estudantil. Desde 2009 há queda anual na utilização diária do transporte público de Cuiabá.

Estudos da própria Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) indicam que  é preciso considerar a ampliação das vias da cidade para o transporte público, o que não significa a abertura de novas vias, mas a destinação de mais espaços das já existentes para ônibus, pedestres e ciclistas.

Habitação e regularização fundiária

Historicamente, Cuiabá foi uma “grande invasão”, principalmente por causa da ocupação desordenada nas décadas de 1970, 1980 e 1990. No começa da atual  década, entre 2011-13 quase perdeu recursos da Caixa Econômica Federal para obras da Copa do Pantanal Fifa 2014 porque não tinha documentos das áreas beneficiadas ou porque existiam até quatro escrituras (com quatro diferentes proprietários) para a mesma área.

Mauro Mendes foi o primeiro prefeito nos últimos tempos que  resolveu imprimir um amplo programa de regularização fundiária. Os candidatos a prefeito da Capital devem discutir três caminhos para o setor: o fomento à ocupação de imóveis vazios no centro, a melhoria das áreas já habitadas (distantes da área central) e a construção de novas moradias em áreas menos afastadas.

A política de moradia para a população mais pobre deve privilegiar conjuntos inseridos na área urbana, com comércio, educação e saúde. E não abrir novas frentes periféricas, como se fazia no passado.

Educação

O desafio educacional é para o novo prefeito de Cuiabá é garantir a obrigatoriedade da educação infantil a partir dos quatro anos e ampliar o atendimento de 0 a 4, com Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs). Além da infraestrutura, uma questão orçamentária é equiparar a carreira dos profissionais da área com os demais professores.

Existe um consenso de que, no ensino fundamental, a qualidade pode melhorar com a vinculação do professor a somente a uma escola. O ideal é o professor ter contato com a comunidade, ter tempo não só para preparar a aula, mas interagir com as comunidades, famílias e crianças.

Independente do número de candidatos à Prefeitura de Cuiabá, desafios não faltam para aqueles que desejam chegar ao 7º andar do Palácio Alencastro, em outubro de 2016.

Fonte: Olhar Direto

[pro_ad_display_adzone id="9377"]