Transporte

Mato Grosso é o terceiro estado que mais emprega no país

Fonte: Fato e Notícia
0
Views:
2

Mato Grosso é o terceiro estado do país que mais empregou no primeiro semestre deste ano. Conforme dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados hoje (27) pelo Ministério do Trabalho, foram 2.989 novas vagas formais. Apenas oito dos 26 estados e Distrito Federal tiveram resultados positivos. Minas Gerais desponta na pesquisa com um saldo de 4.567 mil empregos, em seguida vem Goiás com 3.369.

A boa colocação ocorre na série ajustada, que inclui as informações declaradas fora do prazo. Dessa forma, nos cinco primeiros meses do ano houve um acréscimo de 0,45%.

O melhor desempenho de cidades com mais de 30 mil habitantes foi registrado em Barra do Bugres, onde houve 392 admissões contra 133 desligamentos de empregos, resultando um saldo de 299 vagas novas. O segundo melhor município para oportunidade é Lucas do Rio Verde, com 924 admissões e 822 desligamentos, fechando com um acréscimo de 102 vagas. A terceira é Juara com 325 admissões, 240 desligamentos e 75 novos empregos.

Já a Capital foi a pior colocada de uma lista de 22 municípios do perfil. Está na 22ª posição e fechou com um déficit de 792 vagas. No acumulado do ano, foram registradas 6288 admissões que foram superadas por 7.080 desligamentos.

De acordo com o Caged, em maio de 2016 foram eliminados 1.712 empregos celetistas, equivalente à redução de 0,26% em relação ao estoque de assalariados com carteira assinada do mês anterior. Os setores de atividade que mais contribuíram para este resultado foram o Comércio (-861 postos) e Agropecuária (-804 postos).

Apesar da criação de empregos em maio sofre queda, se comparada ao mesmo período do ano anterior houve uma evolução no resultado, pois em maio de 2015 eram menos 1.924 vagas fechadas.

Os setores que mais contribuíram para a terceira colocação foram a indústria de transformação (setor de alimentos e bebidas, varejistas e atacadistas, extrativista), com 315, na sequência vem a construção civil (214) e o de serviços industriais de utilidade pública (33).

BRASIL

Em junho, 91.032 vagas de empregos formais foram fechadas no país. De acordo com o Caged, o resultado mantém a tendência de mais demissões que contratações no mercado de trabalho.

No entanto, o resultado melhorou em relação a junho de 2015, quando foram fechados 111.199 postos formais. No acumulado deste ano, o Caged contabiliza 531.765 vagas fechadas e, nos últimos 12 meses, o saldo chega a 1,765 milhão de postos com carteira assinada a menos.

O setor de serviços registrou a maior queda de vagas formais em junho deste ano, com fechamento de 42.678 postos de trabalho. O setor inclui a atividade bancária, transportes, comunicações, ensino e serviços médicos, por exemplo.

As únicas atividades com novas vagas abertas foram a agricultura e a administração pública. A primeira abriu 38.630 postos em junho e a segunda, 790 vagas.

As maiores perdas de postos de trabalho foram registradas em São Paulo, com fechamento de 29.914 vagas. Em segundo lugar está Rio de Janeiro, com recuo de 15.748, e em terceiro o Rio Grande do Sul, com menos 10.340 vagas.

Divulgado desde 1992, o Caged registra as contratações e as demissões em empregos com carteira assinada com base em declarações enviadas pelos empregadores ao Ministério do Trabalho.

Transporte