[pro_ad_display_adzone id="9377"]

Observação da onça-pintada fortalece ecoturismo em MT

Fonte: Hipernotícias
0

Considerado um dos biomas mais ricos do planeta, ocupando uma extensa área úmida cercada por vegetação e fauna diversas, o Pantanal é o destino mais visitado em Mato Grosso e um dos mais cobiçados por pesquisadores e turistas de todo o mundo. Para fortalecer essa divulgação turística, o Pantanal é foco de diversas ações promocionais e de infraestrutura coordenadas pela equipe de Turismo da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sedec).

Entre as ações executadas neste ano para divulgar o destino está a participação do Estado nas principais feiras e eventos nacionais e internacionais, como a Feira Internacional de Turismo Lisboa/Portugal (BTL), a FIT América Latina, a ITB Berlim, a World Travel Market London, Expocruz na Bolívia, a feira da Agência Brasileira de Agentes de Viagens e a Feira Internacional de Turismo (Festuris Gramado). Essas ações também contam com a parceria do trade turístico mato-grossense que, juntos, somam forças para a promoção e divulgação de destinos turísticos mato-grossenses no Brasil e no mundo.

Este ano, o Governo do Estado, em parceria com o Sindicato das Empresas de Turismo de Mato Grosso e Trade Turístico, realizou a Feira Internacional do Turismo do Pantanal –  FIT Pantanal com objetivo de promover, divulgar e consolidar o turismo mato-grossense, tendo como um dos destaques o turismo no Pantanal. A FIT de 2017 já foi anunciada pelo Governo do Estado e deverá ser realizada entre os dias 20  23 de abril, no Centro de Eventos do Pantanal, em Cuiabá.

“Apesar da situação frágil da economia no País com reflexos nos estados, estamos vivendo um novo tempo para o turismo em Mato Grosso. O segmento vem mostrando que pode ser um dos pilares no desenvolvimento econômico. Podemos nos destacar muito mais nesse quesito atraindo mais visitantes e turistas do Brasil e do mundo, pois temos uma natureza abundante com três biomas que fazem de Mato Grosso um local singular. Isso é um diferencial que devemos saber aproveitar”, explica o secretário adjunto de Turismo, Luis Carlos Nigro.

O Pantanal concentra uma das maiores extensões úmidas contínuas do planeta ocupando uma área de mais de 150 mil km² do território nacional. Considerado pela Unesco como um Patrimônio Natural Mundial e Reserva da Biosfera devido a sua importância e diversidade ecológica, o bioma é formado por uma planície e está situado na bacia hidrográfica do Alto Paraguai, com uma grande influência do Rio Paraguai e seus afluentes que alagam a região formando extensas áreas alagadiças que favorece a vasta biodiversidade.

A porta de acesso à região pantaneira em Mato Grosso é a Estrada Parque Transpantaneira. Criada em 26 de julho de 1996, a MT-060 corta o Pantanal mato-grossense ligando a cidade de Poconé ao distrito de Porto Jofre e possui cerca de 150 km de extensão e passa por várias pousadas ao longo da estrada.

Aos visitantes, a Transpantaneira permite o contato com a natureza, por meio da observação da fauna, a contemplação de paisagens naturais de belezas únicas e a vivência com os costumes pantaneiros.

Com investimentos na ordem de mais de R$ 12 milhões do BNDES, estão sendo realizadas melhorias na estrada como a construção de pontes de concreto. Das 31 pontes, 12 já estão concluídas e mais 13 em processo de finalização faltando só encabeçamento. A previsão é entregar o restante até o final de dezembro.

Porto Jofre

Pantanal

Distante cerca de 260 km de Cuiabá, a região do Porto Jofre vem se consolidando como um dos principais polos de turismo de observação de fauna no país. O que mais atrai turistas de todo o mundo, principalmente, oriundos da Europa e América do Norte é a onça-pintada – terceiro maior felino do mundo.

A curiosidade em ver de perto esse animal tão exótico e a ‘marca’ do Pantanal tem criado um cenário propício que está transformando Porto Jofre em um dos destinos mais procurados por quem opta pelo turismo sustentável que não causa danos ao meio ambiente, além de gerar emprego e renda para a comunidade.

Observação da onça-pintada

Nos últimos 30 anos a população de onças tem aumentado na região, o que facilita que esse segmento específico do turismo também acompanhe o ritmo, pois com mais animais crescem as chances de avistá-los durante a observação.

Para comprovar o crescimento do potencial que esse tipo de turismo na região vem conquistando ao longo dos anos, a ONG Panthera realizou um estudo com foco no turismo de observação de onça-pintada alguns dados revelam que a atividade está bem longe da crise. Durante a pesquisa foram ouvidos 137 turistas que visitaram Porto Jofre em 2015.

Conforme a pesquisa, na região existe aproximadamente uma onça a cada dois mil hectares nas áreas florestadas próximas aos rios da região. “A região do Porto Jofre inicialmente era mais procurada para o turismo de pesca e observação de aves. Aos poucos, com o aumento do número de onças e a sua preservação, o destino foi atraindo turistas para essa finalidade de observar o felino, sobretudo, os estrangeiros que culturalmente já investem em um turismo mais sustentável, com muito contato com natureza, água e animais exóticos. Pela nossa pesquisa, quase 30% da motivação do turista que vem ao Porto tem relação com a onça-pintada”, explica o pesquisador Fernando Tortato, da ONG Panthera.

Ainda de acordo com a pesquisa, dos turistas estrangeiros que visitam o Pantanal, mais de 26% são provenientes do Reino Unido, seguido por americanos e alemães, com 18,9% e10,9%, respectivamente. Quando perguntados se viriam ao Pantanal sem a possibilidade de visualização das onças pintadas, mais de 48% dos britânicos disseram que não viriam, o que demonstra a importância do felino para o fomento do turismo no destino.

Estrutura e demanda

São sete pousadas à disposição na região de Porto Jofre e aproximadamente 30 em toda a extensão da Transpantaneira, conforme dados da pesquisa, que mostraram ainda uma taxa média de ocupação de 80% na rede hoteleira no período de julho a outubro, algumas com reservas de vagas já para o ano 2017.

Com experiência de quem circula há mais de 15 anos pelo Pantanal, Aílton Lara, que inicialmente exercia a função de guia de turismo decidiu há pouco mais de dois anos, empreender na região do Porto Jofre e hoje comanda a Pousada Pantanal Jaguar Camp.

O empresário conta que viu nascer o turismo de observação de onça e, que, quando percebeu o potencial deste tipo específico de turismo, sentiu a necessidade de investir em um negócio que pudesse atender a crescente demanda. “Porto Jofre vem desenvolvendo e estruturando esse tipo de atividade específica e, hoje, é um dos principais locais que oferece o turismo de observação de onça em toda a América do Sul. A natureza daqui é singular, pois, estamos localizados em uma área de rica diversidade, banhada por rios e com farta opção de alimentos para os felinos, o que proporciona um habitat ideal para a procriação. Por isso, além de sermos pioneiros nesse tipo de turismo, a nossa Região tem se tornado referência, por isso, estamos percebendo um crescimento de cerca de 30% no número de turistas a cada ano”, descreve.

Lara também explica que o período mais propício para encontrar os animais é entre o dia 15 de junho e 15 de novembro. “Em pouco mais de quatro meses registramos, somente na minha pousada, mais de 500 turistas que ficam, no mínimo, quatro dias. A maioria são ingleses e americanos”, conta.

Viaje legal

Se você quer se encantar com as belezas mais exuberantes que somente o Pantanal pode proporcionar, a dica antes de fazer as malas e colocar o pé na estrada, é buscar empresas devidamente legalizadas no ramo para garantir uma viagem sem surpresas desagradáveis.

Para isso, busque o Cadastur – sistema criado pelo Ministério do Turismo e executado em parceria com a Sedec que disponibiliza uma lista de pessoas físicas e jurídicas que atuam no setor do turismo que operam em Mato Grosso. Acesse www.cadastur.turismo.gov.br

[pro_ad_display_adzone id="9377"]