Transporte

Operação com foco em “criminosos com potencial violento” já prendeu 104 pessoas

Fonte: Olhar Direto
0
Views:
0

Com soma parcial de 104  pessoas presas em poucas horas de atuação, a operação Bairro Seguro, deflagrada na manhã desta sexta-feira (29), tem foco principal no combate aos crimes contra o patrimônio em todo Mato Grosso. O propósito, segundo o secretário de Segurança Pública (Sesp), Rogers Jarbas, não é apenas realizar as detenções, mas manter presa toda criminalidade violenta. O balanço inicial das ações, que mobiliza 1300 profissionais das forças segurança, inclui 347 mandados de busca, apreensões e prisões, 26 armas e 24,5kg de drogas apreendidos.

Com relação à soltura dos criminosos logo após as prisões, Jarbas afirmou que algumas medidas já estão sendo adotadas pela Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh). “Claro que delitos de menor potencial, que já estejam cumprindo pena dentro das regras processuais podem até ser colocados em liberdade. O importante é que o criminoso violento, seja de roubo ou homicídio, permaneça preso e aqueles menos violentos estejam em sociedade utilizando a tornozeleira.”

O secretário avalia os primeiros momentos da operação como positivos e diz que para evitar que as organizações criminosas se restabeleçam, a tendência é que nós tenhamos o controle da situação a partir de uma atividade qualificada do serviço de inteligência. “Estabelecemos nossa rede de inteligência trabalhando justamente no monitoramente e controle destas atividades. Quando a população verifica uma viatura na rua, um policial civil ou militar em determinado ponto, ela não tem ideia da estrutura que existe por trás deste profissional de segurança.”

Em coletiva realizada nesta manhã, ele explicou ainda que o número de policiais é um acréscimo aos que já atuam diariamente nas ruas e garantiu que a população perceberá a diferença na segurança depois da operação. “Vamos atingir nosso objetivo sim de diminuir, primeiro, os delitos que mais afetam a sociedade, como o roubo a residência. Os delitos serão diminuídos de forma drástica, e as ações serão ininterruptas. É uma ação integrada e cada instituição tem seu papel nessa atividade.”

No que diz respeito à fronteira com a Bolívia, foco dos criminosos nos casos de roubo de carro, Jarbas ressaltou a proposta do trabalho conjunto e o objetivo da operação.  Assim, além de envolver diretamente ações de unidades especializadas neste tipo de delito, como a Delegacia Especializada em Roubos e Furtos de Veículos Automotores (Derfva), ele conta que haverá participação de todas as instituições de segurança pública da fronteira, como a Polícia Federal (PF), Grupo Especial de Fronteira (Gefron) e Polícia Rodoviária Federal (PRF).

No total serão realizadas 1.078 ações simultâneas de policiamento ostensivo (start/inopinada/saturação) em todo o Estado, sendo 132 apenas na região metropolitana. Haverá ainda blitzes de trânsito e da Operação Lei Seca. E a fiscalização dos Bombeiros irá vistoriar as condições de segurança de estabelecimentos como bares e lanchonetes. “É um trabalho conjunto verdadeiramente integrado com o objetivo único de trazer sensação de segurança à população”, afirmou.

O aparato envolvido na operação, que irá se estender por 24 horas, inclui a atuação de todas as unidades e delegacias especializadas, o emprego de 350 viaturas e o apoio das aeronaves do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer).Além disso as atuações estão interligadas a operações deflagradas em outros estados, principalmente os que fazem fronteira com Mato Grosso, como Goiás, Mato Grosso do Sul, Rondônia, e Tocantins.

Transporte