[pro_ad_display_adzone id="9377"]

Radares devem ser instalados nas principais vias de Várzea Grande

Fonte: G1 MT
0

A cidade de Várzea Grande, na região metropolitana de Cuiabá, deve passar a contar com equipamentos de fiscalização eletrônica de trânsito a partir de 2017. Segundo a Secretaria Municipal de Defesa Social, devem ser implantados mais de 100 equipamentos, entre radares, lombadas eletrônicas e sensores de avanço de semáforos. Um estudo feito pela secretaria listou 60 locais para a instalação dos radares.

De acordo com o secretário da pasta, Alexander Torres Maia, o estudo de viabilidade técnica já foi aprovado pela prefeitura e deve ser encaminhado para a abertura de licitação para empresas interessadas em janeiro do ano que vem.

No entanto, a instalação e funcionamento, de fato, só devem ser feitas no segundo semestre de 2017. Os equipamentos terão um período de testes pelo período de dois meses, até que realmente passe a multar os motoristas infratores.

Acidente na Avenida 31 de Março, em Várzea Grande, nesta sexta-feira (15) (Foto: Deletran de Cuiabá)Avenida 31 de Março, em Várzea Grande, tem registros de acidentes com mortes (Foto: Deletran de Cuiabá)

O número de acidentes, principalmente com mortes, fez com que a gestão tomasse a decisão da instalação dos radares. A proposta é diminuir os casos nas avenidas de maior movimento.

“Queremos reduzir os acidentes. Como a conscientização [a respeito das leis e normas do trânsito] não atinge o objetivo, as regras de trânsito precisam ser observadas e somos obrigados a fazer essas instalações de radares, lombadas e semáforos inteligentes”, declarou o secretário ao G1.

Entre os locais indicados no estudo, os principais que devem receber os equipamentos são: a Avenida da FEB (que liga Cuiabá e Várzea Grande), Avenida 31 de Março (que comporta um grande fluxo de veículos na região do Grande Cristo Rei e aeroporto), Avenida Governador Júlio Campos e a Estrada da Guarita.

De acordo com Maia, Várzea Grande tem 150 mil veículos cadastrados pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT). Contudo, o fluxo de veículos circulando na cidade varia entre 300 mil a 400 mil por mês.

“A via que mais nos preocupa é a Avenida da FEB. É uma via rápida, que não tem nenhuma interrupção, apenas um único semáforo. Já flagramos taxistas dirigindo a 110 km/h durante a madrugada na avenida. Nessa via serão, no mínimo, três pontos com seis equipamentos”, disse Maia.

O secretário pretende fazer o período de testes a partir de agosto de 2017. Serão dois meses de período educativo para os motoristas, até que as multas passem a valer. Em vias urbanas, a velocidade não pode ultrapassar os 60 km/h.

Sobre a segurança de pedestres, a secretaria ainda não tem definição sobre mudanças ou novas interferências no trânsito. O motivo é a situação das obras do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT), que estão paradas desde dezembro de 2014. A obra, licitada no valor de R$ 1,477 bilhão, já consumiu R$ 1,06 bilhão do estado e deveria ter sido entregue para a Copa do Mundo.

Assim que surgir uma definição sobre as obras do modal, a prefeitura diz que pretende instalar passarelas para a passagem dos pedestres.

[pro_ad_display_adzone id="9377"]