[pro_ad_display_adzone id="9377"]

Resort insere Mato Grosso no cenário nacional e aposta em exuberância

Fonte: Olhar Conceito
0

À sombra do Morro do Chapéu, sob as margens do Lago do Manso, um empreendimento de igual exuberância coloca Mato Grosso na rota dos resorts brasileiros, acentuando o potencial turístico da região e trazendo uma nova aposta de lazer, descanso e geração de renda. O Malai Manso Resort Iate Golf Convention & SPA é o primeiro de Mato Grosso e segundo da região Centro-Oeste a ser certificado pela Resorts Brasil, figurando como o 51º a ingressar na entidade, que concede a certificação dá de qualidade dos serviços que serão oferecidos no local.

Erguido em uma área de 117 hectares no total, o estabelecimento surge como uma opção inovadora e de grande potencial turístico nas proximidades de Chapada dos Guimarães, que já se destaca por outras estruturas menos ostensivas de exploração. Assim, em pouco mais de uma hora, o visitante que partir de Cuiabá, por exemplo, poderá ter acesso a um espaço de contemplação, com diversos restaurantes, SPA, piscinas com lâmina d’água de três mil metros quadrados, quadras de tênis e poliesportiva, campo oficial de futebol e futebol society.

Com capacidade para receber 1200 pessoas, aproximadamente, o Malai conta com 600 leitos, entre apartamentos e bangalôs, além de um centro de convenção com capacidade para 500 pessoas. As possibilidades de se chegar até lá também não se limitam. Para os apaixonados por barcos, há um pier para atracar embarcações à beira do resort, e para os que querem em uma viagem mais rápida, o aeródromo dispõe de pista de 1,2 mil metros homologada.

A culinária, no caso do Resort, merece menção a parte. Consonante com o nome que carrega, o mesmo de uma especiaria típica da Índia, o Malai aposta na cozinha de alto padrão como sua marca. O restaurante se divide em três espaços para agradar a paladares que buscam pelos tradicionais sabores brasileiros, os exóticos asiáticos e os mediterrâneos. Haverá uma padaria com mais de 20 tipos de pães, uma confeitaria quente e uma confeitaria fria, além de bares temáticos distribuídos pelo espaço.

O lago, que emoldura a edificação  de referências asiáticas, foi projetado em harmonia com o cerrado e também será palco para esportes aquáticos e radicais, incluindo uma tirolesa que termina dentro da água. O local é ideal, ainda, para pesca e esportes náuticos, uma vez que tem cerca de 50 km de estirão navegável e 427 km² de superfície de águas represadas, e foi idealizado de maneira que praticamente todos os locais proporcionem vistas privilegiadas da represa.

A experiência no Resort já vem sendo vivida desde o dia primeiro de agosto, por um valor de R$1200 reais diários para um casal com duas crianças. Nesta fase, está aberta a charmosa “Vila Malai”, com bangalôs à beira do lago em três estilos diferentes: Boutique, Samoa e Bora Bora. Embora as hospedagens apresentem diferentes níveis de espaço e sofisticação, até o momento tem sido cobrado a mesma quantia por todas elas. Situação que deverá mudar a partir de outubro, com a inauguração dos apartamentos. A previsão é que até novembro todos os detalhes da obra estejam completamente alinhados.

Para setembro, uma promoção de diárias a R$ 1100 garante ao hóspede, além de bangalô de sua escolha, um espaço gastronômico onde haverá pizzaria, choperia e sorveteria, contando com um espaço para serem realizados diversos tipos de eventos. Existe ainda uma opção especial para escolas que, por meio da administração, podem enviar os alunos e um monitor por quase metade de uma diária usual. Para as crianças e adolescentes com pais, uma programação especial possibilita o descanso dos adultos. Neste caso, os menores são separados por idade e acompanhados das 8h às 23h.

Além de inserir Mato Grosso no cenário nacional, até dezembro, quando o resort estará operando na sua totalidade, o Malai Manso empregará diretamente 400 pessoas, o que representa, de acordo com o empreendimento, quase 2000 mil empregos indiretos. Ainda de acordo com a administração, as oportunidades serão oferecidas majoritariamente à moradores da região, fazendo com que a economia local seja movimentada pela inovação. A possibilidade de crescimento entre os cargos ocupados também foi ressaltada.

  •      
  •      
  •     
  •     
  •   
[pro_ad_display_adzone id="9377"]