[pro_ad_display_adzone id="9377"]

VLT é o grande presente que os cuiabanos gostariam de ganhar

Fonte:
0

A chegada do Natal faz com que as pessoas sintam o desejo de construir um mundo melhor, com mais tolerância, fraternidade e amor. Durante os festejos natalinos costuma-se trocar presentes entre familiares e amigos.

O costume teria começado com os três Reis Magos – Baltazar, Belchior e Gaspar -, que levaram ouro, incenso e mirra ao recém-nascido menino Jesus. Fala-se também do bispo São Nicolau, que viveu no século IV, que presenteava as crianças de famílias pobres e jogava saquinhos de moedas pelas chaminés de suas casas.

O fato é que presentes fazem parte da cultura natalina e não há quem não goste de dar e receber.

Mas, e se ao invés de presentear entes queridos e pessoas mais próximas, tivéssemos a chance de pedir ou dar um presente à cidade de Cuiabá? A reportagem de A Gazeta saiu às ruas e fez essa pergunta às pessoas.

Infraestrutura

As respostas, via de regra, passam por questões estruturais. O escriturário Adalberto Rodrigo de Paula quer mais uma praça para o CPA 4, bairro onde mora. “Lá só tem uma praça e assim mesmo precisando de reforma. Ficamos sem opção de lazer”, aponta.

Já o estudante Leones Aparecido Rodrigues, morador da Lixeira, pede mais segurança. “Na verdade, não estamos seguros em nenhum lugar da cidade. Tem que mudar isso”.

A aposentada Judite, do Nova Conquista, pede ao Papai Noel um posto de saúde de presente para a região. “Lá não tem nenhum”, denuncia.

O atendente Igor Romera, que ano que vem vai ser papai pela primeira vez, pede ao bom velhinho melhorias no asfalto do Santa Isabel. “Não tem condições. É muito buraco, sem contar o matagal perto do campo de futebol do Areião. Tudo quanto é bicho peçonhento vem para dentro de casa”.

Para a estudante Mariana Araújo, o presente perfeito seria “mais atenção às escolas, principalmente a minha, Alcebíades Calhao, no Quilombo, que está há dez anos sem reforma”.

O fotógrafo carioca Alessandro Teixeira, de férias em Cuiabá, pensa que uma cidade mais limpa estaria de bom tamanho. Inconformado com o “legado” da Copa do Mundo de 2014, ele reclama do “córrego aberto na região da Arena Pantanal”. Ali, a situação é calamitosa, até com pessoas jogando lixo embaixo da trincheira próxima ao Cisc Verdão”.

O desempregado Márcio Ediney Rodrigues sonha com um novo Pronto Socorro. Ele sabe do que fala. “Tive que ficar internado lá por alguns dias. A coisa tá difícil.”

Nas idas e vindas da unidade de pronto atendimento, a Prefeitura afirma que o PSM está com 80% de conclusão na parte estrutural e a previsão de entrega é para o primeiro semestre de 2018, um “pouquinho” depois do que Márcio Ediney gostaria.

A arquiteta Mayara Pelin daria um presente mais futurista: um sistema de posteamento fotovoltaico (conversão direta da luz solar em energia elétrica). “Poderiam iluminar todo o centro pelo menos, utilizando uma energia abundante, livre de cabeamento e gerando uma grande economia”, opina.

VLT

Já imaginou Papai Noel trazendo nada menos que o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) em seu trenó? Pois é esse o presente que a maioria dos entrevistados pediria ou daria à Cuiabá.

Apesar de descrente, a operadora de caixa Patrícia Coelho, lembra, com bom humor, que “a esperança é a última que morre”.

A instrutora de yoga Cíntia Gemelli é mais enfática: “Não só isso, mas tudo o que foi prometido ao povo e não foi cumprido”.

A veterinária Izabel Dutra pensa da mesma forma: “A conclusão efetiva do VLT e a manutenção do estádio construído para a Copa com utilização de forma útil pela população”.

Patrícia, Cíntia e Izabel precisarão de um pouco mais de paciência. Para tentar resolver o imbróglio do modal, o governador Pedro Taques optou por uma nova licitação com Regime Diferenciado de Contratação (RDC).

Em entrevista á rádio Vila Real, do Grupo Gazeta de Comunicação, Taques declarou que “o edital deve ser aberto para empresas de todos o país, até o fim de fevereiro”. A licitação está sendo elaborada pela Secretaria de Cidades, juntamente com a Procuradoria Geral do Estado (PGE).

Mas que calor

“Pode ser qualquer coisa?”, questiona a representante comercial Sandra Nunes, natural de Barra do Garças e há 30 anos em Cuiabá. Diante da resposta afirmativa, ela completa: “Então escreve aí: um sistema de ar-condicionado em cada praça”.

O vitrinista Luiz Fernando também vai na onda: “Um ar-condicionado central gigante seria o presente perfeito”.

Ainda que bem-vindas, as sugestões não se mostram de todo exequíveis, mas o terminal de ônibus da Praça Alencastro, com garantia de entrega pela Prefeitura ainda este ano, pode ser um refresco, haja vista que vai dispor de sistema de ar-condicionado.

Enquanto isso não acontece, pode-se ficar com o presente sugeridos pelos jornalistas Gustavo Castro e Caroline Lanhi: mais árvores. “Essa cidade é insuportável de tanto calor e ainda retiram o pouco verde que tínhamos”, protesta Castro, referindo-se às árvores que deram lugar aos trilhos do VLT.

Nesse tocante, a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos destaca a intenção do plantio de 300 mil mudas de árvores nos próximos três anos, como parte do programa “Viver Cuiabá – Rumo aos 300 anos”.

Fonte: Gazeta Digital

[pro_ad_display_adzone id="9377"]