Transporte

Com aditivo, obra do Complexo tijucal é retomada em Cuiabá

Fonte: Folhamax
0
Views:
2

Com aditivo de pouco mais de R$ 3 milhões e com previsão de entrega para a primeira quinzena de dezembro deste ano, a obra do Complexo Viário do Tijucal foi retomada. A construção, que teve início em julho de 2012, já teve o prazo de conclusão adiado pelo menos três vezes, além das paralisações em sua execução. 

A última data foi estabelecida após assinatura do Termo de Ajuste de Gestão (TAG) entre Governo do Estado e Tribunal de Contas do Estado (TCE) e previa a entrega para julho deste ano, o que não foi cumprido.

Orçada inicialmente em R$ 30,1 milhões e com previsão para ser inaugurada em janeiro de 2014, o Complexo Viário do Tijucal fazia parte do chamado pacote de obras de mobilidade urbana para a Copa do Mundo de 2014.

Em outubro do ano passado, a Secretaria de Estado de Cidades (Secid) e o TCE assinaram um TAG envolvendo a conclusão de seis obras e dentre elas estava o Complexo. A execução foi retomada no mês seguinte, mas sempre a passos lentos. Nossa equipe esteve no canteiro de obras em março deste ano, onde na época haviam apenas cinco operários trabalhando. 

O consórcio EEF (formado pelas empresas Engepontes, Enpa e Funsolos), responsável pela obra, informou que a demora nos trabalhos ocorreu devido às readequações ao projeto.

A nova data acordada no TAG determina que a execução seja concluída até junho de 2017. Porém, a Secid informou que no ritmo que segue o andamento da construção, o complexo está dentro do cronograma estimado e deve ser entregue antes do previsto, na primeira quinzena de dezembro deste ano. Conforme a pasta, atualmente 90% da edificação está concluída.

A Secid ainda informou que houve diversas revisões na planilha orçamentária do contrato, o que resultou em reajustes no valor do contrato. A obra chegou a ser estimada em R$ 36,7 milhões, mas após análise o valor foi reduzido e posteriormente voltou a ser aditivado, chegando ao valor final de R$ 33,2 milhões. Até o momento, os repasses feitos ao Consórcio EEF somam R$ 29 milhões.

Idealizado para melhorar a mobilidade urbana na região do Coxipó e dar mais agilidade para quem chega da região sul e deseja entrar na capital, o complexo, atualmente, se encontra parcialmente utilizado, uma vez que o viaduto e a rotatória que o compõe foram liberados para tráfego desde abril de 2014. O local já foi cenário de graves acidentes automobilísticos.

O contrato 042/2012, além de compreender a construção de rotatórias, adequações viárias para o trevo do bairro Tijucal, também prevê serviços de restauração, drenagem, pavimentação e sinalização.

SERVIÇOS JÁ EXECUTADOS

De acordo com projeto, a trincheira construída no complexo conta com 740 metros de extensão e está instalada entre trecho da BR-364 e a avenida Arquimedes Pereira Lima (Estrada do Moinho). Já o viaduto possui 520 metros e é responsável por fazer a ligação entre a rodovia federal até a avenida Fernando Corrêa da Costa, passando por cima do trevo de acesso ao bairro Tijucal. 

Para sua conclusão, falta apenas a execução da parte asfáltica. A reportagem esteve no complexo viário nesta terça-feira (18) e encontrou cinco operários realizando serviços de reparos na parte de drenagem das paredes internas da trincheira. 

Segundo eles, o trabalho que teria que ser feito no local já foi concluído. “Voltamos aqui apenas para fazer um reparo na parte de drenagem, porque apareceu um vazamento. Mas, terminando isso, vamos para o canteiro de outra obra”, disse um deles.

Dentre os serviços executados nos últimos dias pode-se citar os blocos (gelo-baiano) que dividem as pistas da trincheira, os quais o cimento recém-curado aponta que são novos. 

Foram fixados postes de iluminação, que assim como os do viaduto, possuem lâmpadas de LED. As primeiras etapas da pavimentação asfáltica da trincheira já foram feitas, restando somente a fase de compactação do asfalto. 

Para evitar que motoristas utilizem o local, antes da conclusão, as entradas foram fechadas. Quanto ao viaduto, foram feitas melhorias na iluminação, o asfalto teve reparos e a barreira de proteção foi refeita.

Transporte