Transporte

Com mais de 400 mil multas sociedade cobra aplicação de recursos

Fonte: Centro-Oeste Popular
0
Views:
0

A sociedade cobra da Prefeitura e dos vereadores da maior cidade de Mato Grosso, a aplicação do dinheiro das multas de trânsito, que não estão sendo aplicadas onde deveriam. A falta de aplicação correta, está deixando a cidade cheia de buracos, sem sinalização, com esgotos sendo jogados em córregos, com calçadas mais de 99% destruídas e com “bocas de lobo” arreganhadas.

Um silêncio de velório, sepulcral. Ninguém quer falar sobre os valores arrecadados pela Prefeitura Municipal de Cuiabá (PMC), com as mais de 400 mil multas aplicadas aos motoristas infratores do trânsito da Capital. As cifras são milionárias. Informações não oficiais garantem que os valores passam dos R$ 10 milhões mensais.

A sociedade não reclama da colocação dos radares, pois os equipamentos evitam acidentes, principalmente com vítimas fatais. Acidentes que tem diminuído nos últimos meses. A população quer saber sime cobra aonde está sendo empregada essa “fortuna”. Rezinga da também do silêncio, principalmente dos vereadores de Cuiabá, que ficam alheios a questão tão importante e não cobram sobre a aplicação do dinheiro.

A reportagem do Jornal Centro-Oeste Popular comprovou, inclusive com fotos, que o dinheiro não está sendo aplicado nas questões mais importantes da infraestrutura do trânsito, que são as sinalizações verticais e horizontais. Totalmente esquecidas, principalmente as faixas de pedestres, mais de 98% estão apagadas e colocam em risco a vida de milhares de pessoas diariamente.

Segundo ainda apurou a reportagem, o montante arrecado com as infrações poderia ser aplicado, no “Programa de Tapa-Buracos”, ou no “Programa de Recapeamento”. Porém, andando pelas principais avenidas e ruas de Cuiabá, principalmente nos bairros da periferia, constata-se que elas estão totalmente abandonadas. Repletas de crateras, as deficiências trazem prejuízos a população, pois veículos e os ônibus vivem quebrados.


Mais de 98% das faixas de pedestres da cidade estão apagadas e colocam em risco a vida de milhares de pessoas diariamente

Além disso, mais de 99% das calçadas públicas de Cuiabá estão esquecidas e abandonadas, causando transtornos constantes inclusive com riscos de quedas e lesões, os cadeirantes.

Neste contesto, apenas um vereador levantou a voz até agora para cobrar da PMC.Nas sessões da Câmara Municipal de Cuiabá (CMC), a Reportagem também deu de cara com a “Lei do Silêncio”. Primeiro nada é discutido e não se vê nenhum vereador levantar uma bandeira ou discutir sobre a questão.

Apenas um vereador, o Dilemário Alencar (PROS) cobra sobre a colocação dos radares sob a alegação de que “é uma máquina de fazer dinheiro”.

“É preciso resposta da Prefeitura, pois milhões são arrecadados e Cuiabá continua com as ruas mal sinalizadas,semáforos velhos, faltando temporizadores e pintura de qualidade para faixas de pedestres. Tenho provocado o Ministério Público e o Poder Judiciário pedindo intervenção, pois é preciso barrar a volta da famigerada indústria da multa”, afirma o vereador.

REVOLTA

O senhor Adamastor, de 65 anos, morador da Morada da Serra, em Cuiabá foi explosivo: “P.. Não sou contra a colocação dos radares. Eles ajudam a salvar vidas, pois os motoristas precisam respeitar as leis de trânsito e muito não respeitam, ou não respeitavam. Agora o que é preciso saber, e eu já cobrei isso dos parlamentares e eles enfiaram os rabos entre as pernas. Medo não sei de quê”? Deve ser do prefeito. Para onde está sendo destinado o dinheiro das multas? As faixas de segurança estão todas apagadas. Nossas calçadas abandonadas e as avenidas estão cheias de buracos. Outubro está chegando e vamos dar uma resposta. Aguardem”, alerda Adamastor.

Dona Maria A.A., de 58 anos, moradora do Centro de Cuiabá também não esconde sua revolta. “Prefeito, o senhor precisa acordar. O senhor vai completar quatro anos à frente da Prefeitura da maior cidade de Mato Grosso e seus assessores não contaram que as calçadas, principalmente as do Centro, não são calçadas e sim colchas de retalhos. Coitados dos cadeirantes, senhor prefeito. E os buracos? A Avenida da Prainha (Tenente Coronel Duarte), não tinha tantos buracos e o senhor mandou recapear. Por que também não usa o dinheiro das multas dos radares para consertar as calçadase pintar as faixas de pedestres”, questionou a dona de casa.

A reportagem encontrou a estudante de Direito de uma universidade particular de Cuiabá. A jovem J.B.T., de 28 anos, moradora do bairro Santa Rosa, elogiou a colocação dos radares, mas desceu a lenha na PMC. “Falta sim, explicar para onde está sendo destinado o dinheiro das multas dos radares e muitas outras coisas que estão erradas. Será que isso é muito difícil ou impossível?”.a futura advogada detona: “A Prefeitura tem sim que olhar para os problemas das calçadas, que é uma questão grave. Precisa olhar para a sinalização do trânsito e dos buracos que se multiplicam a cada dia. Dar atenção para os córregos da Capital. A CAB está jogando esgoto puro, in natura, merda mesmo nos córregos e ninguém fala nada. Isso é um absurdo. Cadê os vereadores de Cuiabá?”.

Uma comerciante que já morou no bairro Sangri-lá, em Cuiabá, e agora mora em Várzea Grande (Grande Cuiabá), também não esconde sua revolta e também desce a lenha nos vereadores da Capital e de Várzea Grande. “Vereador é igual em qualquer lugar. Eles só vão atrás da gente, fazem mil promessas apenas quando querem o voto, depois somem. Morei em Cuiabá perdi as contas de quantas vezes fiz cobranças e nunca me deram uma resposta. Até mesmo alguns que se dizem da oposição, só dizem, mas não cobram nada. As calçadas da Capital são um verdadeiro absurdo. Não se anda um metro sem encontrar um defeito”.

Morador do Planalto, um comerciante de 45 anos que pediu para não ser identificado avisoude mais um perigo. “Não temos faixas de segurança para pedestres. A CAB está mandado as águas dos esgotos para dentro do córregos. Os buracos proliferam, as calçadas estão abandonadas. Mas existe um caso muito grave que pouca gente fala que são os bueiros, conhecidos, como bocas de lobo. Mais de 50% estão sem também. Tem muitos, principalmente na Avenida do CPA que engolem dois adultos e duas crianças ao mesmo tempo caso aconteça uma chuva forte. Sabe por quer de tudo misso? Porque não temos vereadores sérios, comprometidos com a população que prometem em suas campanhas políticas, fazendo propagandas enganosas”.


Montante arrecado com as infrações poderia ser aplicado, no programa tapa-buracos

Atuação

O vereador Dilemário Alencar também cobrou a falta de segurança para as pessoas que precisam transitar pelas calçadas, entre elas a Avenida Rubens de Mendonça (Avenida do CPA). Por lá, os buracos, os espaços e as calçadas quebradas são os principais entravese  quem sofre são os cadeirantes, os idosos e as mães com crianças de colo.

Outro lado

A reportagem entrou em contato por telefone diversas vezes nos últimos dias para ouvir o secretário da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob), Thiago França. Mas até o fechamento desta edição não obtivemos êxito.

Transporte