[pro_ad_display_adzone id="9377"]

Confira 10 cachoeiras incríveis para conhecer em Mato Grosso

Fonte: Guru da Cidade
0

Sabe aqueles cenários de filme? Eles podem estar mais perto do que você pensa. As belezas naturais de Mato Grosso poderiam ganhar facilmente o Oscar de melhor fotografia, mas nada se compara como ver essas maravilhas cara a cara.

Então prepara o coturno, boné, filtro solar e muita água. Agora, é só colocar a mochila nas costas que aqui vem trilhas e cachoeiras das boas. Descubra com o Guru da Cidade 10 cachoeiras incríveis para conhecer em Mato Grosso.

Algumas destas cachoeiras já foram cenários de documentários e filmes

Mato Grosso é um Estado com forte vocação para o turismo e as suas florestas e cachoeiras são destaques a nível nacional. Uma das mais conhecidas é a do Véu das Noivas, em Chapada dos Guimarães.

Mas, outras cachoeiras não muito divulgadas e quase anônimas são um espetáculo à parte, como a Salto das Andorinhas em Aripuanã e e a cachoeira do Borá em Tesouro no município de Guiratinga.

Confira algumas das principais cachoeiras do Estado

1 – Cachoeira do Uirapuru – Nova Lacerda

01_julieta_uirapuru
Foto: Rama Chandra

Se uma cachoeira já é o suficiente para nos deixar maravilhados, imagine duas, uma de frente a outra em um local praticamente inexplorado. A Cascata Uirapuru fica a 26 km do perímetro urbano de Nova Lacerda.

Chegando na cidade é só seguir as placas indicando Cascatas, não precisa de guia, mas é bom perguntar no comércio local como está o acesso até lá. Se tiver sem interdições na estrada, você chega de carro até uma área usada para fazer churrasco e acampar. Depois desce por uma trilha pequena e de nível médio até o lago formado pela queda das cachoeiras.

01_romeu_uirapuru
Foto: Rama Chandra

2 – Cachoeira do Borá – Tesouro/Guiratinga

02_cachoeira-do-bora-tesouro_guiratinga
Foto: Rama Chandra

A cachoeira fica próximo à Fazenda Alvorada, na região conhecida como Chapadão do Dantas (46 km de Guiratinga). O ideal é usar as coordenadas no GPS ou, antes de sair de casa, ver pelo Google Maps ou por este arquivo, executável no software Google Earth, que contém a rota traçada Guiratinga-Cachoeira do Borá.

Veículos comuns chegam sem muitas dificuldades até a cachoeira. Não se cobra pela entrada, mas para quem não conhece bem a região é aconselhável ir com condutores locais, que cobram valores a partir de R$ 20.  Contato: Victor Allan: (66) 99677-0718. É recomendável fazer o passeio em época de seca, pois as cachoeiras ficam mais bonitas.


3 – Cachoeira da Serra Azul – Nobres

03_cachoeira-da-serra-azul-nobres_rosario-oeste
Foto: Rama Chandra

A Cachoeira Serra Azul está localizada a aproximadamente 89 km de Nobres. Possui 46 metros de altura e um poço de seis metros de profundidade com 30 metros de diâmetro. No local, é feita a visitação e o mergulho em superfície, além da tirolesa, que tem 50 metros de altura e 700 metros de descida, e o arborismo.

Para visitá-la é necessário muita disposição e fôlego, pois é preciso subir e descer cerca de 470 degraus de escadaria. Mas o turista é recebido com uma brisa refrescante e uma bela visão da queda da cachoeira de cor azulada.

O atrativo abre de segunda a segunda das 09h às 10h e das 14h às 15h, é necessário agendar. Valor por pessoa somente cachoeira: R$ 70,00, Tirolesa: R$ 50,00, Arborismo: R$ 40,00, além de pacotes para quem deseja mais de uma opção. Estes valores incluem guia e entrada, com desconto de 50% para crianças de 05 a 09 anos de idade.


4- Cachoeira do Jatobá – Vila Bela da Santíssima Trindade

o-jatoba-vila-bela-da-santissima-trindade
Foto: Rama Chandra

A cachoeira do Jatobá a maior do Estado de Mato Grosso e, alguns dizem, ser a quarta maior do Brasil, por possuir uma das mais expressivas quedas livres de água do país. Para ter acesso à cachoeira é necessário percorrer um trajeto por trilhas íngremes de mais de 10 km a pé. Mas a beleza do lugar é uma enorme recompensa. Recomenda-se o passeio em época de chuva.

Estima-se que a cachoeira do Jatobá possua cerca de 260 a 280 metros de queda livre e, aproximadamente, 15 metros de largura em épocas de chuva. Está localizada na propriedade do pecuarista João Batista Macedo que cobra R$ 10 por pessoa para ter acesso aos atrativos. O caminho não é simples, portanto o auxílio é fundamental.


5 – Cachoeira Salto das Andorinhas – Aripuanã

achoeira-salto-das-andorinhas-aripuana
Foto: Divulgação

O município de Aripuanã está localizado a cerca de 998 km de Cuiabá e guarda dois saltos (Dardanelos e Andorinhas) em meio à mata densa da floresta Amazônica. O destaque está no salto das Andorinhas, a quantidade incrível de pássaros dá nome à cachoeira e impressiona os turistas. A região também conta com trilhas e balneários com piscinas naturais.

A melhor época para visitar a cidade para quem quer chegar o mais próximo das cachoeiras é entre os meses de agosto a novembro. Já para quem quer contemplar as cachoeiras com máximo volume de água a melhor época é e dezembro a julho.


6 – Cachoeira da Fumaça – Jaciara

06_fumaca-juscimeira
Foto: Divulgação

Atrai adeptos do rafting e do rapel que chegam à cidade de 26 mil habitantes em busca de adrenalina. O rafting, realizado em botes infláveis, dura duas horas e meia. Ao longo do percurso de 3 km, os aventureiros desbravam as corredeiras que variam entre os níveis I e III. Já o rapel é feito em uma queda d’água (um canal da cachoeira da Fumaça), sendo chamado também de cachoeirismo. Para fazer os passeios é preciso contratar o serviço de rafting ou rapel. 

cachoeira da fumaça
Foto: Divulgação

7 – Cachoeira Véu de Noiva – Chapada dos Guimarães

07_veu-da-noiva
Foto: Divulgação

A cachoeira do Véu de Noiva fica no Km 51 da Rodovia Emanuel Pinheiro, junto ao Parque Nacional do Parque Nacional de Chapada dos Guimarães, a 12 km do centro da cidade. Como chegar: Tem ônibus de linha (Chapada/Cuiabá) de hora em hora ou nos passeios regulares das agências de turismo da cidade.

Cartão postal da Chapada, a cachoeira é formada pelo rio Coxipó, com 86 metros de queda livre. A cachoeira pode ser observada a partir de um mirante próximo à administração do parque.

No local, existe um restaurante típico regional muito bem adaptado à paisagem e o ecoturista pode obter informações no centro de visitantes e comprar artesanato na lojinha. A entrada é franca e o local fica aberto das 09h às 15h.


8 – Cachoeira Salto das Nuvens – Tangará da Serra

08_cachoeira-salto-das-nuvens-03
Foto: Divulgação

A Cachoeira fica na Rodovia MT 358, km 21 (sentido Campo Novo do Parecis). É formada pelo Rio Sepotuba e, logo após a queda, forma uma praia natural de água doce. Possui estacionamento, telefone público, lanchonete, loja de souvenirs, restaurante, locação para shows e eventos, sala de jogos, redário, deck para pescaria, hospedagem para 22 pessoas (chalé e casas).

Aberto de quarta a domingo e feriados das 09h às 18h. A entrada custa R$ 15,00 e crianças até 9 anos não pagam. Para quem deseja passar o dia existe a opção do buffet por R$ 40,00 aos domingos e feriados. Saiba mais no Facebook.


9 – Cachoeira Utiariti – Campo Novo dos Parecis

achoeira-salto-utiariti-campo-novo-dos-parecis-foto-edson-yabumoto
Foto: Edson Yabumoto

Utiariti é o nome do gavião que Chico Buarque cantou em “Passaredo”, para o povo Paresí é nome de pássaro sagrado. O local é de beleza ímpar que surpreende a todos principalmente os aventureiros apaixonados por esportes radicais.

O rio Papagaio, de águas esverdeadas, se atira em uma queda de quase 98 metros, formando a silhueta semelhante ao mapa do Brasil. O passeio dura de 4 a 5 horas, com grau de dificuldade leve. O valor é de R$ 90,00 por pessoa, incluindo valor da entrada, presença de um guia e almoço.

A cachoeira está localizada nas terras indígenas da etnia Paresí e é acessível por uma pequena trilha a partir da aldeia. A contemplação pode ser feita da parte mais alta do salto; e também de um mirante acessível por trilha íngreme, em um ponto mais baixo e “frente a frente” à queda.


10 – Cachoeira da Saudade – Nova Xavantina

10-cachoeira-da-saudade-nova-xavantina
Foto: Divulgação

O local é mais conhecido como cachoeira da Ilha do Coco, possui três quedas d’água, totalizando 22 metros, com paredões de pedra ideais para a prática de rapel. O local é de fácil acesso e possui área para camping.

A cachoeira é muito visitada durante o período da seca (maio a outubro), mas fica dentro de uma área particular e a entrada precisa ser autorizada pelo proprietário. É cobrada uma taxa de R$ 2,00 por adulto. O acesso é pela BR 158, a entrada fica à direita no km 155, sentido Barra do Garças.

158, a entrada fica à direita no km 155, sentido Barra do Garças.

cachoeira-da-saudade-nova-xavantina-murillo-raggiotto
Foto: Murillo Raggiotto
[pro_ad_display_adzone id="9377"]