Transporte

Cuiabá sobe quatro posições no ranking das cidades mais empreendedoras do Brasil

Fonte: Cuiabá 300
0
Views:
1

O Índice das Cidades Empreendedoras (ICE) 2016, lançado na manhã desta quinta-feira (17.11), aponta que Cuiabá subiu quatro posições no ranking dos ambientes mais empreendedores do Brasil. O relatório comparou o ambiente de negócios de 32 cidades, de 22 estados, que juntas representam mais de 40% das Scale-ups do País, e cerca de 40% do PIB nacional.

Criado pela Endeavor, organização global e sem fins lucrativos de fomento ao empreendedorismo, o ICE é um estudo que indica as melhores cidades brasileiras para empreender a partir da análise de 60 indicadores distribuídos em sete pilares, que mais impactam a vida do empreendedor. São eles: ambiente regulatório, infraestrutura, mercado, acesso a capital, inovação, capital humano e cultura empreendedora.

Para reduzir a distorção de uma cidade para a outra, causada pelo tamanho da população ou da sua economia, nesta terceira edição do Índice os indicadores foram calculados em função da natureza do dado, em geral pelo desempenho no número total de empresas, Produto Interno Bruto (PIB), dentre outros exemplos.

Mesmo próxima geograficamente do centro empreendedor do País, quando o assunto é empreendedorismo a região Centro-Oeste ainda está distante, de acordo com o estudo. Com base na avaliação, os quilômetros que separam a região dos grandes centros econômicos existem e não só atrapalham a locomoção de pessoas e mercadorias como a colocam distante da inovação e do capital financeiro.

O porto mais próximo, por exemplo, fica a mil quilômetros e os aeroportos que poderiam compensar a distância, com exceção de Brasília, são pequenos. O resultado é uma combinação de dificuldades: “é difícil chegar lá, seja por mar, estradas ou por cima”, diz trecho do relatório.

De acordo com o secretário de Estado de Planejamento (Seplan), Gustavo de Oliveira, apesar das dificuldades, Mato Grosso possui DNA inovador. “A criação do Parque Tecnológico e a parceria do governo para a realização de eventos nacionais e internacionais das comunidades locais, integram a proposta do Executivo estadual para trabalhar em rede e identificar práticas inovadoras que podem ser inseridas ao cenário de transformações do Estado”, disse.

Conforme Oliveira, ao trazer iniciativas de fomento ao empreendedorismo inovador para Cuiabá, o governo começa a compensar o isolamento dessa região central do Brasil, conectando o Centro-Oeste com as tendências mundiais.

A atuação do Governo de Mato Grosso para incentivar o desenvolvimento do ecossistema local de inovação e empreendedorismo também foi enfatizado no ICE 2016. Conforme a análise, nos últimos cinco anos e em toda a região Centro-Oeste foram registrados somente seis investimentos de Venture Capital (um a menos que o registrado no ICE 2015), e outros nove pela indústria de Private Equity. Destes, quatro aconteceram em Cuiabá, todos contabilizados neste ano, levando a capital mato-grossense à sexta posição na comparação proporcional.

“A distância dos grandes centros econômicos do país provoca a fuga dos melhores cérebros de Cuiabá, inviabilizando o potencial inovador do estado. Um desafio que o governo do Estado está vencendo com iniciativas destinadas a desenvolver o empreendedorismo de alto impacto. Entre elas destaca-se a Arena da Inovação”, comenta o assessor de inovação da Seplan, Flavio Gomes.

De acordo com o assessor, iniciativas como o Startup Weekend Cuiabá, a Conferência Anprotec e o MT Stars, inspirado no SP Stars, são exemplos de atividades realizadas pelo governo. “Tem ainda o MT Criativo, com a Secretaria de Cultura, Células Empreendedoras, com a Secretaria de Ciência e Tecnologia, o primeiro hackathon de Cuiabá, em parceria com o AngelHack, o GovLab Experience, o projeto Comunidades Inovadoras, entre outros. Para fortalecer o Estado, as ações de incentivo ao empreendedorismo também estão sendo ampliadas para polos de inovação em Rondonópolis e Sorriso, que envolvem mais de 30 municípios no seu entorno”, acrescenta o assessor.

CUSTOS E BUROCRACIA ENXUTOS

O Ambiente Regulatório do Centro-Oeste, segundo o relatório, além de ser menos custoso, também apresenta condições menos complexas. Os impostos em geral estão abaixo da média: o IPTU médio da região, por exemplo, é 0,85% sobre o valor venal, e fica em torno de 1,4% nas demais regiões. Regularizar imóveis em Cuiabá também é mais rápido: são necessários cerca de 127 dias, o que é muito, mas ainda assim um mês a menos que a média das 32 cidades.

Acesse aqui o relatório completo do ICE 2016.

Transporte