[pro_ad_display_adzone id="9377"]

Emanuel Pinheiro descarta multas por câmeras

Fonte: Repórter MT
0

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB), declarou que o dinheiro das multas de trânsito é “amaldiçoado” e descartou punir os motoristas através das câmeras de videomonitoramento, nos próximos meses.

A iniciativa já foi adiada duas vezes pelo gestor, que nesta segunda-feira (7), afirmou que antes de dar início às punições fará uma campanha de orientação a respeito das regras de trânsito. Segundo Emanuel, o objetivo não é “engordar o caixa do município”.

“Não tenho pressa para cobrar e não vou cobrar. Quero que respeitem as leis de trânsito e não engordar o caixa do município. Enquanto não tiver uma campanha em que eu me sinto contemplado de que a população está sabendo, não haverá multa. E assim será pelo tempo que for necessário”, disse.

Segundo o prefeito, a legislação de trânsito prevê outras formas, como advertência aos motoristas que desrespeitarem as regras.

“Não quero indústria da multa. Não estou preocupado em multar, pois toda multa feita de forma destemperada, de forma a multar por multar, é um dinheiro amaldiçoado, que não fica no caixa do município e que não vai servir para o bem do município”, declarou o gestor.

Ele ainda afirmou que a campanha deverá dar ênfase às leis a respeito dos corredores exclusivos de ônibus, uma vez que muitos motoristas ainda têm muitas dúvidas sobre o assunto.

“É público e notório que a divulgação está falha, por isso, enquanto não se fizer uma campanha maciça de esclarecimento e orientação, de educação no trânsito, especialmente nos corredores exclusivos de ônibus, eu não vou cobrar”, concluiu Emanuel.

Multas por videomonitoramento

São 32 pontos de fiscalização constante na Capital. O sistema começou a funcionar inicialmente de maneira experimental no dia 6 de março.

As câmeras de fiscalização do sistema estão distribuídas várias regiões de Cuiabá. 10 agentes monitoram o videomonitoramento em tempo real, de dentro da central de controle da Secretaria de Mobilidade Urbana.

Se estivesse valendo, as penalidades seriam revertidas em multas nas infrações do uso de celular ao volante, avanços de semáforos e trafegabilidade nas faixas exclusivas de ônibus, dentre outros.

[pro_ad_display_adzone id="9377"]